sábado

Delegado diz que caso de jovem obrigada a andar nua por Barretos foi motivado por vingança

Mulher raspou as sobrancelhas da jovem dentro do carro em Barretos, SP (Foto: Reprodução)Mulher também cortou cabelos e raspou sobrancelhas da vítima, após descobrir traição do marido. Polícia Civil investiga crimes de lesão corporal, sequestro e cárcere privado.
Diferente do que defende a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Barretos (SP), a Polícia Civil afasta a possibilidade de tratar como crime de tortura o caso da jovem de 18 anos que foi obrigada a circular pela cidade nua, com a cabeça e a sobrancelha raspadas (veja vídeo abaixo).
Para o delegado Marcos Eduardo Marques, a agressão foi motivada por vingança: a agressora descobriu que o marido mantinha um relacionamento com a vítima desde março desse ano. O homem está preso no Centro de Detenção Provisória de Taiúva (SP).
“A intenção da autora foi mais motivado pela vingança. Ela não fez para ter uma certeza, uma confissão. No fundo, essa certeza ela já tinha. O que ela fez foi se vingar da vítima. Raspar a cabeça, tirar a roupa e soltar ela nua pela rua foi uma maneira de humilhar”, disse.

O crime
O crime ocorreu em 22 de junho. Em depoimento, a jovem disse à Polícia Civil que tentou fugir e se esconder dentro da casa de um cunhado, ao perceber que seria atacada, mas foi retirada do local à força pela agressora.
A vítima foi levada pela mulher e por outras duas amigas dela até uma área próxima ao aeroporto, onde foi obrigada a ficar nua e teve os cabelos cortados. A jovem contou que, em seguida, foi exibida naquelas condições em pontos de tráfico de drogas.
O caso passou a ser investigado após a divulgação dos vídeos na internet em que a vítima aparece sendo humilhada pela agressora. Nas imagens, a mulher dirige o automóvel, enquanto a jovem está nua no banco do passageiro, com a cabeça raspada.
“Ainda bem que você não quer ele. Ele pode ficar com qualquer uma, menos com você, porque você é tirada da favela. Apesar de que ele também, né?! Dois tirados da favela não dá nada”, diz a mulher ao volante.

Fonte: G1

Nenhum comentário: